Espaguete Integral ao Molho de Tomate, Abobrinha e Tofu

DSC_0302

A abobrinha italiana é um legume de baixa caloria por ser muito rico em água (cerca de 95% de sua composição). Além disso, possui vitaminas A, C e B (niacina e ácido fólico), fósforo, potássio e um pouco de ferro, cálcio e fibras.
Segundo o CEAGESP, o melhor período para consumo é de agosto a novembro.
A abobrinha é colhida ainda verde. Caso isso não aconteça, ela continua crescendo e amadurece: vira abóbora.

Tofu

O tofu é o “queijo” de soja. Feito a partir do “leite” de soja coagulado, é tão interessante que merece um post só pra ele. Mas enquanto não o faço, já vou adiantando que é um alimento rico em proteínas e minerais.

A receita de hoje é um apetitoso molho de tomate com abobrinha e tofu pra servir com massas ou em qualquer outro prato da sua escolha!

Espaguete ao Molho de Tomate, Abobrinha e Tofu
CATEGORIAS:
– Prato Principal
– Vegana

Algumas definições…

Olá! Acho legal definirmos agora alguns termos que serão frequentemente utilizados aqui neste blog:

 Alimentação Natural:

Padrão alimentar onde predominam alimentos em sua forma natural ao invés de industrializados e ultra-processados. É preferencialmente composta por alimentos integrais e orgânicos.

 Alimento Orgânico:

É aquele que não foi cultivado com agrotóxicos e adubos químicos e que é isento de drogas veterinárias, hormônios, antibióticos, radiações ionizantes e aditivos químicos sintéticos (corantes, aromatizantes, emulsificantes, etc).
Além disso, para ser orgânico o alimento não pode ser transgênico, ou seja, não pode ter sido modificado geneticamente.
A agricultura orgânica tem como objetivo ser sustentável, devendo trazer benefícios para o agricultor, para o consumidor e para o meio ambiente.

 Integral:

Cereais integrais não passaram pelo processo de refinamento. Os grãos estão inteiros, sendo assim superiores aos refinados em relação ao valor nutricional: possuem mais fibras, vitaminas e minerais.

Alimentação Ovolactovegetariana:

As carnes são retiradas da dieta, porém ainda há consumo de outros alimentos derivados de animais, como leite, ovos e mel.

 Neste blog vamos nos referir a este padrão de alimentação como Vegetariana.

 Alimentação Vegetariana estrita:

Todos os alimentos derivados de animais são retirados da alimentação.

 Veganismo:

Estilo de vida em que além de não ingerir alimentos de origem animal, seus adeptos também não consomem outros produtos como lã, seda, couro, peles e cosméticos testados em animais.

 Quando se refere à alimentação não há diferença entre os dois últimos termos, então vamos sempre chamar de alimentação Vegana aqui neste blog.

 Alimentação Viva:

Composta de frutas, verduras e legumes frescos, brotos e sementes germinadas. Também engloba preparações fermentadas e desidratadas. Não são consumidos alimentos cozidos em temperatura acima de 38ºC, processados e nem alimentos de origem animal. A proposta é aproveitar ao máximo os nutrientes e a vitalidade dos alimentos.

Referências

– Livro “Alimentação sem Carne” do Dr. Eric Slywitch – Editora Alaúde
– Site Portal Orgânico – www.portalorganico.com.br – Acesso em agosto de 2013

Pão de Mandioquinha

mandioquinha

A mandioquinha salsa, também conhecida como batata baroa, é uma raiz tuberosa originária da América andina.
A melhor época para consumo é de maio até agosto, de acordo com o Ceagesp. Utilizar alimentos da estação é muito vantajoso em termos de qualidade e economia.
É rica em carboidratos (o que a torna ótima fonte de energia), vitaminas (A, C e complexo B) e minerais (cálcio, potássio, magnésio e fósforo). Por isso pode e deve ser muito utilizada em sopas, purês, papinhas infantis, cozidos, assados, etc.
É só usar a criatividade. Eu escolhi fazer pão!

100D3200